Amanaiara

HISTÓRIA DE AMANAIARA

Um distrito em desenvolvimento

Amanaiara distrito pertencente ao município de Reriutaba cidade cearense desenvolvida as margens da linha férrea RFN (Rede ferroviária do Nordeste) criada segundo Rocha (2003, p 36) pela lei Nº 2056 de 11 de Novembro de 1922.

E pela força do decreto 1114, de 30 de dezembro de 1943 recebe Sinimbu e Varjota como distrito.

Ainda segundo Rocha (2003, p 37) de acordo com a lei Nº 3.516 de 28 de dezembro de 1956 o município de Santa Cruz recebe a atual denominação de Reriutaba.

 

Reriutaba tem uma extensão de 366 km2. Seu nome é uma alusão aos índios Reriús, antigos habitantes da região.

Sinimbu, hoje Amanaiara tem sua localização geográfica por questões política, tendo em vista que o projeto da estrada de ferro RVC (Rede Viação Cearense) passaria pelas terras do capitão Júlio Ferreira, na localidade denominada peixe. O mesmo sendo homem de influência consegue junto aos chefes locais a mudança da referida estrada, impedindo que a mesma passasse por suas terras e aí outros proprietários cederam suas terras para a construção da estação ferroviária. Como defende Freire (2012, p 230).

A estação de Sinimbu segundo Oliveira (2012) foi inaugurada em 1929, somente 35 anos após abertura da linha férrea e o distrito recebe três denominações ao longo de sua história: Lago do Mufumbo (planta nativa da região), Sinimbu e Amanaiara.

O primeiro nome foi lago do Mufumbo, porque tinha muito Mufumbo, Sinimbu porque tinha uma máquina que se chamava Sinimbu, que foi a primeira máquina a passar pela comunidade. Depois Amanaiara = terras das chuvas (OLIVEIRA 2012, p 12).

Sinimbu tem suas primeiras edificações às margens da estrada de ferro e segundo Freire (2012) as primeiras casas foram a do Coronel Chico Pinto, do Senhor Antonino e Arsênio Bernardo, esta com um ponto comercial.

 

Amanaiara, construída as margens da estrada de ferro RVC (Rede Viação Cearense) está localizada a 11 km da sede do município, têm como base econômica basicamente a agricultura e os produtos cultivados predominando o milho, o feijão, sendo cultivada também a palha de carnaúba produto essenciais para a produção do artesanato de chapéu de palha, onde o distrito se destaca como maior exportador para as indústrias de Sobral. Tem uma polução de 2229 SIAB (Sistema de Informação de Atenção Básica) habitantes na maioria na idade adulta jovem e idosa.

A CAPELA DE SÃO JOSÉ EM AMANAIARA

A origem da capela de São José

A religiosidade católica de Reriutaba tem seu início, segundo Rocha (2003, p143) por volta do ano de 1906 com a criação da capelinha dedicada a Nossa Senhora da Conceição, primeira padroeira da comunidade ainda subordinada a Paróquia de São Sebastião de Ipú que permanece como padroeira até o ano de 1914 quando é erigida a igreja dedicada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que passa a ser então a padroeira do município. Sua elevação a paróquia se desenvolve segundo decreto diocesano de Dom José Tupinambá da Frota de 23 de novembro de 1936 recebendo território das paróquias de Ipú, Campo Grande, São Benedito e o Curato da Sé. Tendo como primeiro pároco o Reverendíssimo Padre Francisco Olinto Leitão.

O espírito religioso da comunidade de Sinimbu se torna aparente diante manifestação do povo em erigir uma capela na comunidade e segundo a Senhora Maria José Fernandes Ribeiro,(Idade 67 anos Moradora local e ministra da Sagrada Eucaristia da capela. Entrevista realizada na capela de São José em 27 /01/14) uma mulher de nome Domitilde, em 1929, ano de sua chegada a comunidade, inicia um trabalho de sensibilização aos demais moradores, especialmente as mulheres por serem mais sensíveis e religiosas e com elas, conseguirem a parcerias dos esposos para ajudarem na obra e logo encontra a senhora Luzia (esposa de Ribeiro Freire) que aceita a proposta.

Fica claro ainda nos relatos da Senhora Maria José Fernandes Ribeiro quem participou da fundação da capela como os pedreiros: Francisco Freire e Ribeiro Freire. Depois Chico Ribeiro (quem doou a imagem do santo Padroeiro trazida de Portugal) e seu irmão Anastácio Ribeiro. Como justifica Freire (2012).

Uma obra desta estrutura necessitaria de muitos recursos e a senhora Domitilde percebendo a escassez, resolve em acordo com a comunidade ir à Juazeiro do Norte em busca de pedir ajuda a Padre Cícero para a construção da igreja. Segundo a senhora Maria José Fernandes Ribeiro: “Ele deu com muito gosto, mas disse que a igreja ia ser construída, mas no futuro a mesma cairá e alguém que ajudara na construindo vai tanger jumentos de dentro do lugar”.

Com a doação de Padre Cícero, a senhora Domitilde sai em busca de quem doaria a terra para erigir a capela e encontra o Senhor José Bezerra de Meneses que doa a terra com a condição de que o santo padroeiro seja São José de quem era devoto. Como ainda afirma a Senhora Maria José Fernandes Ribeiro. “O dono do terreno que doou para fazer a capela se chama-se José Bezerra e pediu para que o padroeiro fosse São José porque seu nome era José”.

A construção da capela de São José teve uma grande influência no desenvolvimento econômico e social do distrito. Observa-se que logo que inicia sua construção, inicia também o povoamento organizado da comunidade. Diante disso, Silva Junior apud Ferreira na tese de Doutorado “Cidades Sagradas” a igreja católica e as transformações urbana no Ceará (1870-1920), nos apresenta a influência da igreja católica no processo urbanístico do Ceará.

Um fato marcante na construção da referida capela foi à organização e lideranças da senhora Domitilde em conquistar pessoas para ajudar na obra.

Conforme relatos de moradores e Freire (2012), uma cena marcante na história da capela relacionado com a fala de Padre Cícero em mencionar a queda da capela em anos posterior a sua construção aconteceu: No inverno de 1974 a igreja cai e o Senhor Ribeiro Freire lembra o que dissera Padre Cícero, e vai até o local constatando o cenário: jumentos comendo bredo nas ruínas da igreja.

O Senhor José de Paiva Monte em sua entrevista nos informa que após a queda da igreja no ano de 1974 o senhor Chico Pinto, homem de poder aquisitivo melhor a reconstrói com seus próprios recursos e a entrega novamente à comunidade.

Organização pastoral

 A Capela de São José, localizada na praça da igreja, as margens da CE 329, é uma das mais belas da paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Reriutaba, atualmente é coordenada pelo Conselho Administrativo e tem sua diretoria composta por Presidente, vice- presidente e conselheiros como constam nos fragmentos da ata de eleição do Conselho Administrativo da capela 2013:

Presidente: Senhor Gerardo Ferreira Borges, Vice-presidente Senhor Vicente Eufrásio Cordeiro; Animador catequético:  Samuel Furtado Lopes e Judite Nogueira Camelo; Zelador :Maria das Graças Monteiro e Maria de Fátima Furtado; Secretário: Jander Cássia Marinho e Orestes Ferreira; Equipe de evento: Maria Olinda Marinho Pinto, Zumira Rodrigues Costa, Terezinha de Jesus Braga Viana, Maria José Fernandes Ribeiro e Gilda Maria Rodrigues. (Livro de Ata da Capela)

Exercem a função de Ministros da Sagrada Eucaristia os Senhores: Terezinha de Jesus Braga Viana, Maria José Fernandes Ribeiro, Zumira Rodrigues Costa, Maria de Fátima Furtado, Maria das Graças Monteiro, Cristiana Brito Barros Cordeiro, Terezinha Aurilene Martins de Azevedo, Maria Janete Abreu da Silva e Karcio Marinho Pinto. A capela ainda conta com vários grupos pastorais como: Pastoral do Batismo, Pastoral do Dízimo, Pastoral da Crisma, Catequese, Infância Missionária, Juventude Missionária, Apostolado da Oração e um grupo de Evangelização denominado Cristo Vive em Nós.

CONFIRA ALGUMAS BELAS IMAGENS DE AMANAIARA